Voltar para a lista de publicações

Receba as melhores dicas e novidades por e-mail

Corretor, já está pronto para declarar seu Imposto de Renda?

O que o corretor de imóveis precisa saber na hora de declarar o seu importo de renda para a Receita Federal

  • Postado em 9 de abril de 2017
  • Carreira, Destaque, Melhor gestão, Publicações, Vendas
  • Todos os anos, entre os meses de março e abril todos os cidadãos brasileiros ou estrangeiros residentes no País devem declarar o Imposto de Renda. O chamado IR é um tributo federal que incide sobre a renda, investimentos e bens que deve ser pago por todos os brasileiros,  sejam eles assalariados em carteira ou profissionais autônomos, como é o caso dos corretores de imóveis.

    Quanto o corretor de imóveis paga de Imposto de Renda?

    Hoje um corretor de imóveis pode chegar a pagar 27,5% de tributação sobre uma comissão. Se ele estiver recolhendo adequadamente suas taxas, o profissional deve ainda somar mais 20% referentes ao INSS, contribuição necessária para ter acesso à aposentadoria e outros serviços sociais.

    Tabela números do imposto de renda

    Esta alta carga tributária pode levar alguns corretores a declarar apenas parte dos seus rendimentos ou a simplesmente sonegarem o Imposto de Renda. Mas cuidado! Essa prática pode trazer graves consequências, já que aumenta o risco de o corretor cair na chamada malha fina e ter seu patrimônio ameaçado. Sonegar ou declarar-se isento não é solução para quem quer pagar menos imposto pois existem situações que prendem o contribuinte aos seus rendimentos reais.

    Por exemplo: quando compra um imóvel, a pessoa recebe os documentos referentes àquele bem que deverão ser utilizados na sua próxima declaração. Entre estes documentos está a RPA (Recibo de Pagamento a Autônomo) que contêm os CPFs dos profissionais envolvidos nesta intermediação. Ao lançar em sua declaração a comissão paga ao corretor como ‘pagamentos efetuados’, este contribuinte amarra seus dados aos do corretor de imóveis possibilitando assim o cruzamento de informações pela Receita.

    Informar o CPF dos clientes

    A partir de 2017, os corretores de imóveis precisarão informar à Receita Federal o número do CPF dos seus clientes. Outras categorias profissionais, como advogados, psicólogos, médicos, dentistas, fisioterapeutas e fonoaudiólogos, que usam o Carnê-Leão para comprovar renda já eram obrigados a enviar à Receita dados de seus clientes.

    As informações do CPF dos clientes dos corretores serão usadas na declaração de renda de 2018, tendo como base os rendimentos deste ano. A transferência de dados do Carnê-Leão para a declaração pode ser feita por meio de um programa de computador.

    A declaração do imposto do corretor de imóveis

    Trabalhar como autônomo exige tanta ou mais disciplina fiscal do que aqueles profissionais cujo regime é o CLT. Geralmente é o próprio corretor quem cuida de seus documentos, o que demanda tempo, organização e planejamento. É natural que muitos corretores sejam capazes de fazer sua própria declaração, eles só não devem se esquecer de informar os valores de acordo com aqueles que constam em suas RPAs emitidas ao longo do ano.

    O cenário ideal e que pode possibilitar uma redução de carga tributária, é encontrar um contador que possa orientá-lo tecnicamente durante o ano ou neste período que precede ao envio da declaração.

    Mas se você deseja contar com esta ajuda, corra! Os contadores são muito procurados neste período. Todos os anos, a Receita Federal disponibiliza para download o programa do IR. Em 2017, o prazo para receber as declarações começou no dia 02 de março e vai até o dia 28 de abril.

    Comentários

    comentários


    Receba as melhores dicas e novidades por e-mail

    Veja também no VivaCorretor

    • Social
    VivaReal

    O VivaCorretor é uma iniciativa do Portal Imobiliário VivaReal