#

O que é SPDA? Ele é obrigatório?

O nosso país conta com mais incidências de relâmpagos no mundo todo. São cerca de 78 milhões deles caindo todos os anos, causando grandes estragos a pessoas e edificações.

# Viva Real Publicado em 02/08/2022
Tempo de leitura 5 min

O nosso país conta com mais incidências de relâmpagos no mundo todo. São cerca de 78 milhões deles caindo todos os anos, causando grandes estragos a pessoas e edificações. Por isso, na hora de iniciar a sua construção, é importante entender o que é SPDA, popularmente conhecido como para-raios.

De acordo com o Grupo de Eletricidade Atmosférica, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a cada 50 mortes provocadas por raios no mundo, uma acontece no Brasil. 

Quase 30% dos óbitos ocorrem em casa ou áreas cobertas, como varandas. Para evitar esse risco, você pode contar com o Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA).

Para que serve o SPDA?

Agora que você aprendeu o que significa SPDA, vamos te mostrar para que serve esse sistema. Ele tem como objetivo blindar uma edificação e tudo o que está nela, incluindo as pessoas, dos efeitos elétricos, mecânicos e térmicos ocasionados pelos relâmpagos.

Ao contrário do que você possa imaginar, o SPDA não impede que o raio atinja a edificação. O que ele faz é criar um caminho para a descarga elétrica chegar até o solo sem causar prejuízos à estrutura, nem ser transferida para os equipamentos ou as pessoas.

Como o para-raio funciona?

Grande parte das mortes ocorridas por raios em casa ocorre quando as vítimas estão usando o telefone ou estão encostadas e até próximas de paredes, tomadas, janelas e portas. Para isso não acontecer, o SPDA captura o relâmpago por meio do para-raio.

O para-raio, ou terminal aéreo, é uma haste condutora rígida instalada no ponto mais alto da edificação. O objetivo é que ela seja a primeira parte da estrutura a ser atingida pelo relâmpago, capturando-o para as outras partes do projeto do SPDA. 

O terminal aéreo forma uma zona de proteção ao redor da estrutura, cujo tamanho varia para cada projeto, a depender do solo da região, da altura e da área a ser protegida.

De modo geral, um projeto do SPDA inclui quatro componentes que funcionam em conjunto para desviar os relâmpagos: o terminal aéreo (para-raio), os condutores de descida, os terminais de aterramento do SPDA e os condutores de ligação equipotencial. 

Todas as construções precisam do SPDA?

Você já entendeu o que é SPDA. Então, vamos à questão da obrigatoriedade. Não existe uma legislação federal específica sobre o tema, já que isso varia entre os municípios. 

Porém, há recomendações da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), do Corpo de Bombeiros e da norma regulamentadora NR10, que devem ser seguidas em relação à instalação do para-raio.

Comércios e indústrias com mais de 1500 metros quadrados de área construída ou edifícios com mais de 30 metros de altura, mesmo residenciais, devem instalar o SPDA. 

Além disso, postos de combustíveis, fábricas de explosivos, subestações de energia, prédios históricos e todos os estabelecimentos com potência maior que 75 kW precisam instalar o sistema e os aterramentos necessários.

Mesmo sem a obrigatoriedade legal, contar com a proteção do SPDA é muito importante para qualquer edifício residencial, industrial ou comercial. Isso vale especialmente em regiões com altas incidências de relâmpagos, como os estados de São Paulo e Minas Gerais, da região Centro-Oeste e da maior parte das regiões Norte e Sul. 

o que é SPDA - imagem de casa com descarga atmosférica

Inspeção e laudo do SPDA

Além de compreender o que é SPDA, é importante saber escolher o melhor tipo de sistema para a sua construção, de acordo com o porte da sua obra e o custo-benefício. Lembre-se: o sistema deve constar já no projeto de construção e passar por inspeções periódicas.

Para realizar essa inspeção e emitir o laudo do SPDA, você deve procurar profissionais habilitados pelos Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia (Creas). Eles irão fazer uma análise do atual estado do sistema e analisar se há necessidade de alterações. Também podem orientar sobre a instalação do sistema em edifícios já construídos. 

A inspeção nos sistemas precisa ser constante. A inspeção visual é a mais simples e deve ser feita anualmente. Já as revisões completas devem ser feitas de acordo com o tipo de estrutura, podendo variar de um ano, em caso de prédios que abrigam explosivos, a cinco anos, em caso de prédios residenciais.

Outra informação útil na hora de entender o que é SPDA é que a atividade dos relâmpagos pode causar surtos de tensão, afetando linhas, cabos telefônicos ou redes de dados, ou seja, a rede elétrica da região. 

Por isso, é importante associar a instalação do SPDA a um Dispositivo de Proteção contra Surtos (DPS), protegendo ainda mais os equipamentos da residência ou da empresa.

Sua construção fica melhor com a Viva Real

Agora que você já entendeu o que é SPDA e a importância desse sistema na sua construção, é hora de escolher o melhor terreno para a sua obra.

Na Viva Real, você encontra as melhores opções de casa, terreno ou apartamento, na localidade que você desejar, em qualquer parte do Brasil. Faça a sua pesquisa com as nossas ferramentas avançadas de busca agora mesmo.