Aprenda a montar um orçamento para morar sozinho

Antes e durante o processo de morar sozinho, é preciso planejamento e controle das finanças para não viver apertado.

Por Vitório Real
25/08/2016 @ 14:21

Para muitos jovens, o momento de sair da casa dos pais é um marco de entrada na vida adulta. Mas para que morar sozinho não seja uma experiência traumática e frustrante, é bom lembrar que um passo importante como esse exige muita organização financeira.

O primeiro passo para garantir que as contas fechem no final do mês é ter um orçamento bem planejado. Afinal, ninguém quer ser surpreendido por uma montanha de dívidas logo no início da sua independência.

Está pensando em alugar seu próprio apartamento? Então acompanhe nossas dicas antes de pegar as chaves!

Organizando o orçamento para morar sozinho

O primeiro passo para organizar seu orçamento é colocar no papel todas as entradas e saídas de dinheiro no seu dia a dia. Anote tudo, do cafezinho à roupa nova. Divida os gastos em:

  • Fixos: aluguel e contas.
  • Obrigatórios: alimentação e supermercado.
  • Pontuais: reformas e manutenção.
  • Supérfluos: aqueles que podem ser cortados.

Depois de listar todas as despesas, é possível saber onde você pode economizar para a sua casa nova e quais gastos não podem ser cortados. Organizando o orçamento, você consegue ter uma noção real de quanto pode separar para pagar os custos de se morar sozinho.

E lembre-se: antes de mudar, já comece uma reserva para realizar a mudança. Afinal, esse processo inclui muitos gastos extras como transporte, instalações e pequenas reformas no novo ambiente.

Aluguel e condomínio

Aluguel e condomínio são os gastos mais importantes no orçamento para morar sozinho, pois eles garantem que você tenha um teto para morar! O pagamento dessas contas deve estar sempre em dia, portanto o valor de ambos é muito importante na hora de alugar o seu imóvel.

Quer evitar surpresas desagradáveis na hora de pagar as contas? Então opte por imóveis cujo aluguel e condomínio caibam direitinho no seu orçamento.

Converse com o síndico e outros moradores antes de fechar o contrato: pergunte se há cobrança de cotas extras mensalmente ou se o condomínio muda com frequência, por exemplo.

Lembrando também que você tem um imposto a pagar na casa nova! Pergunte ao seu locatário se o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) deve ser pago mensalmente junto com o aluguel ou em uma só parcela anual. Há, inclusive, moradias com IPTU incluso. Informe-se sobre isso!

Contas fixas

Além do aluguel, condomínio e IPTU, existem outros custos fixos para quem mora sozinho, que devem ser incluídos no orçamento, como: luz, gás, água e internet.

Para contas de luz e gás, o uso de equipamentos regulados corretamente ou que economizem energia é importante para baixar a conta no final do mês. Escolha os tipos de lâmpada que atendem às suas necessidades ou planeje melhor o uso destes recursos – lâmpadas de LED, por exemplo, consomem menos energia.

Você pode também estabelecer dias específicos para lavagem de roupas ou limpeza da casa, evitando gastos desnecessários com energia e água.

Para internet e telefone, procure planos que ofereçam as melhores vantagens de acordo com sua rotina. Combos que incluem telefone fixo, internet, celular e canais de TV a cabo costumam ser mais em conta do que contratar cada serviço separadamente. Mas seja realista: não adianta ter um pacote com vários canais de TV se você não para em casa, ou escolher uma internet de baixa potência quando você precisa dela para trabalho ou estudos.

Estabeleça prioridades e monte seus gastos de acordo com o que você realmente precisa!

Móveis e eletrodomésticos

Toda casa nova demanda certos gastos extras com móveis e eletrodomésticos para sua montagem. Não deixe de incluir essas contas no seu orçamento para morar sozinho: planejar essas despesas é muito importantes para saber quanto você poderá gastar com elas.

Pesquise preços, promoções, lojas de produtos de segunda mão ou até mesmo doações de amigos e familiares. Comece pelo seu quarto atual: organize seus pertences e veja o que já pode ser levado para a casa nova!

Alimentação

Na casa dos seus pais, a “mágica” acontecia todos os dias: era só abrir a geladeira e a comida estava lá, pronta para ser consumida. Morando sozinho ou dividindo com amigos, a obrigação de colocar a comida em casa é, claro, dos moradores. Mais uma vez, aqui planejamento é a palavra de ordem.

Vá ao supermercado com uma lista de compras com tudo que você precisa. Pesquise preços em diferentes supermercados nas redondezas do seu apartamento. Caso a diferença de preço entre eles valha a pena, divida a compra entre as melhores ofertas.

Por fim, avalie seus hábitos alimentares antes de ir às compras. É importante não exagerar nas besteirinhas e nem comprar mais do que você precisa para passar a semana ou o mês. Experimente também o prazer de cozinhar em casa, para você ou para os amigos. Você vai se impressionar com quanto pode ser economizado fora dos restaurantes!

Fundos de emergência

Todos nós estamos sujeitos a precisar arcar com pequenas despesas inesperadas. Cotas extras no condomínio, emergências médicas, pequenas reformas, veterinário do pet: nunca se sabe o que está por vir.

Para não ter que recorrer a empréstimos e cartões de crédito, que possuem juros altos, recomendamos que uma parte do seu orçamento seja dedicada a um fundo de emergências.

Os economistas recomendam que 30% do seu salário seja reservado para este fundo. Porém, como os gastos com a mudança podem ser maiores do que o esperado, é possível começar o fundo com 10% e subir gradualmente, conforme os gastos iniciais diminuam.

Diversão

Você não achou que iríamos esquecer desse item tão importante, não é? Pois pode colocar de volta esse sorriso no rosto! Afinal, não é porque você está saindo da casa dos seus pais para começar oficialmente a vida adulta, que precisa abandonar todos os momentos de diversão. Em vez disso, encaixe esses momentos no seu orçamento para morar sozinho.

Quando estiver procurando apartamento, leve em consideração as opções de lazer do bairro escolhido. Além de bares e baladas, mapeie opções gratuitas como praças, parques e praias e opções culturais, como cinema, teatros e museus.

Aproveite também para conferir o espaço do seu próprio prédio. Muitos condomínios possuem quadras, academias e pistas de corrida para praticar esportes gratuitamente ou com um preço mais em conta.

Depois que estiver tudo pronto no seu novo lar, chame os amigos para aquela festinha em casa! Invista nos jogos e música e combine com os convidados os comes e bebes que cada um irá levar. Assim, todos se divertem e economizam! Você vai ver que ficar em casa no sábado a noite também pode ser bastante divertido, só depende da companhia.

E aí, já começou a fazer seu orçamento para morar sozinho? Aproveite para conferir as outras dicas do nosso blog!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Todos os comentários estão sujeitos a aprovação, para evitar que qualquer conteúdo impróprio, ilegal ou ofensivo seja publicado. O preenchimento do Nome e E-mail são obrigatórios.