Entenda o que é um consórcio de imóveis

Por Erica Fonseca
14/10/2013 @ 14:59

Com a valorização dos imóveis, alternativas para realizar o sonho da casa própria ganharam destaque. Hoje em dia, para comprar um imóvel, não é mais preciso ter todo o dinheiro em mãos. Existem diversas opções de aquisição que podem ser muito mais interessantes e vantajosas, até mesmo para quem pode comprar à vista. É o caso do consórcio de imóveis que, segundo a Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio (ABAC), já representa 15% das vendas no Brasil.

Neste Guia Prático sobre Consórcio, ajudamos você a entender e descobrir se essa é a modalidade perfeita para você!

O que é:

Consórcio imobiliário é uma maneira de comprar imóveis. É formado por um grupo de pessoas, que podem ser físicas ou jurídicas, que se juntam para financiar umas às outras, com o pagamento mensal de valores previamente combinados entre os membros.

É indicado, principalmente, para quem não tem urgência em adquirir a casa própria.

Como funciona:

Uma vez por mês, todos os participantes do grupo, que pagam a mensalidade do consórcio, reúnem-se em uma assembleia, onde são realizados sorteios de cartas de crédito, uma espécie de vale-compra que habilita o comprador da vez.

É possível dar lances nessas reuniões e ter acesso às cartas de crédito, disponíveis para quem fizer a melhor oferta.

Há administradoras que fazem sorteio pela loteria federal, outras com métodos próprios.

Quando você receber a carta de crédito, o valor será pago diretamente ao vendedor do imóvel escolhido.

Caso não queira usar a carta de crédito imediatamente, basta continuar pagando as parcelas e a sua cota (valor disponível) ficará reservada para quando quiser utilizá-la junto à administradora.

Principais Vantagens:

Taxas mais baratas do que os juros praticados pelos financiamentos;

Menos burocracia;

Poder de negociação do pagamento à vista;

Permite o uso do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), seja para acrescentar ao valor da carta de crédito e adquirir um imóvel de valor maior; para quitar as parcelas pendentes; ou usar em lances nas assembleias mensais e tentar ser a maior oferta para ganhar a carta de crédito antes, sem depender do sorteio.

Pontos de Atenção:

• Prazo de conclusão do grupo, alguns levam mais de 10 anos para contemplar todos os participantes;

• Opções de aquisição da carta de crédito, que pode ser através de sorteio (acontece uma vez por mês na assembleia entre o seu grupo), leilão (é a opção de dar lances e a melhor oferta do dia leva a carta de crédito. Pode ser feito entre os membros do grupo, também na assembleia mensal) ou encerramento do grupo (quando o grupo do consórcio chega ao mês final definido). Por exemplo, você aderiu a um consórcio imobiliário de 6 anos. Passaram-se todos os 72 meses e você não foi nem sorteado e nem conseguiu garantir a carta de crédito em leilão. Então, quando chega o 72º mês você ganha automaticamente a carta de crédito;

• Os critérios para participar dos sorteios e para oferecimento de lances devem estar previstos no seu contrato. Também as regras de desempate;

• Idoneidade da administradora, principalmente se ela é uma empresa certificada pelo Banco Central e se não tem reclamações em órgãos de defesa do consumidor;

• Verificar quais são as garantias que a empresa oferece para quem se associa. Como ainda não existe o apartamento, e por isso não terá a chave do imóvel em mãos, garantia mais tradicional, veja quais alternativas a administradora oferece, como reembolso total em caso de problemas e inadimplência no grupo, contratos e documentações extras são alguns exemplos de garantia;

• Custos administrativos, valores pago pelo serviço e outras questões além da mensalidade. Quando você entra em um grupo de consórcio, a administradora poderá cobrar, além da primeira mensalidade ou prestação, a antecipação de custos relativos à taxa de administração. Mas tudo isto deve estar previsto no contrato de adesão;

• Segundo regras do Banco Central, os juros moratórios estão limitados a 1% ao mês, e as multas, limitadas a 2% do valor da prestação em atraso, e precisam estar previstas contratualmente.

Problemas mais comuns

• Não basta selecionar a melhor administradora, ela tem que escolher você também. Seu perfil será analisado como em qualquer outra operação de crédito;

• Papo de vendedor. Em um consórcio, ninguém tem como prometer ou garantir quando você será contemplado com a carta de crédito. Se usarem isso como argumento de venda, não entre nessa;

• Assinar o contrato sem ler. Muita coisa está em jogo, leve a sério esse documento;

• As contemplações dependem da existência de recursos em seu grupo, portanto, se o número de inadimplentes de seu grupo for muito alto é possível que algum mês não tenha sorteio para carta de crédito;

• Casos de desistência. Algumas empresas só devolvem o dinheiro no encerramento do grupo ou caso a pessoa seja sorteada. Porém, ainda há polêmica sobre o tema, já que órgãos de defesa do consumidor defendem que o participante tem o direito de receber o dinheiro imediatamente.

Dicas para ingressar em um consórcio:

• Poupe pelo menos 25% do valor do imóvel para dar o lance e tentar a carta de crédito com mais agilidade;

• Não faça contratos verbais, formalize tudo;

• Entenda como funcionam os lances e as regras do sorteio;

• Participe das assembleias e esteja sempre informado sobre o grupo.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Todos os comentários estão sujeitos a aprovação, para evitar que qualquer conteúdo impróprio, ilegal ou ofensivo seja publicado. O preenchimento do Nome e E-mail são obrigatórios.