1. VivaReal
  2. Tipos de Imóveis
  3. Apartamento

Apartamento

Tudo sobre apartamento

Um apartamento é um tipo de lar muito escolhido pelas pessoas devido aos diversos benefícios que oferece e, também, por existirem várias opções, especialmente em cidades grandes.

Além disso, mais que optar por morar em um apê, você também decidirá pelo condomínio em que irá viver, o bairro e o estilo de vida que esse tipo de moradia oferece. Para ajudar nessa escolha tão importante, preparamos este guia. Confira!

Como é viver em apartamento

Antes de optar por viver em um apartamento ao invés de uma casa, é importante saber as diferenças entre os dois. Quem escolhe esse tipo de habitação para viver, geralmente busca segurança e comodidade.

Quem mora sozinho também pode eleger esse prático domicílio que, muitas vezes, é menor e aglomera dezenas ou centenas de moradores no mesmo prédio, dando uma sensação de que a pessoa não está realmente sozinha, podendo contar com o auxílio de seu condomínio quando precisar.

Um imóvel como esse, pode dispor de um serviço de portaria e outras comodidades inclusas no prédio, como piscina, salão de festas e academia, por exemplo. Além de existirem opções de unidades com varanda gourmet, sacada na sala e nos quartos, além de lavanderia, closet, suíte, etc.

Demais alternativas estão conectadas ao tipo do apartamento, já que ele pode ser padrão (normalmente com metragem acima dos 35m²), kitnet, loft, flat, studio, duplex, triplex, cobertura ou garden.

Seja qual for a sua decisão, a segurança que a portaria oferece e as comodidades que um condomínio pode ter são os principais fatores que você deve considerar nesse tipo de imóvel.

Vantagens e desvantagens de morar em apartamento

Já adiantamos que a segurança e a comodidade são as vantagens mais lembradas quando se fala em apartamento. Mas, existem outros benefícios?

Segurança

Quando se fala em segurança de condomínio, é uma referência ao controle que a portarias e seus sistemas de monitoramento oferecem. Caso haja um porteiro presente na entrada do edifício, ele é responsável por vigiar câmeras espalhadas pelo prédio e elevadores, além de controlar a entrada de pessoas, receber encomendas e correspondências, entre outras funções.

Com isso, se você viajar ou ficar o dia todo fora, pode ficar despreocupado, pois saberá que sua residência estará segura e as correspondências chegarão em suas mãos assim que voltar.

Outro fator que pode dar essa impressão é a comunidade formada pelos seus vizinhos. Caso estranhem algo, eles podem tomar providências mesmo em face da sua ausência.

Comodidade

É mais cômodo morar em um condomínio devido aos serviços e espaços que ele pode ter à disposição, para diferentes finalidades. Alguns exemplos comuns são: salão de festas, churrasqueira, piscina, sauna, academia, quadras poliesportivas, playground, serviço de lavanderia, pet shop e, até mesmo, spa.

Manutenção externa por conta do condomínio

Outra vantagem que você pode não estar se lembrando é sobre a manutenção das áreas externas. Em uma casa, é o morador quem deve cuidar da pintura da fachada, das telhas, da limpeza dos espaços ao redor e, até mesmo, de manter a calçada sempre em ordem. Em um apartamento, não: a administração do edifício está incumbida de tudo isso, o que é cobrado na taxa de condomínio mensal.

Os benefícios dos andares mais altos

Além de todos esses pontos positivos, quem mora em um andar mais alto do prédio provavelmente terá uma ventilação melhor nos ambientes.

Nos andares mais altos também há menos barulho nos corredores (devido à menor circulação de pessoas que estão nas áreas sociais ou subindo pelas escadas) e vindo da rua, que fica mais distante em comparação às residências no térreo.

A vista do apartamento pode ser outra vantagem. Quando não há prédios ao redor, você pode admirar a paisagem da cidade ou da natureza local. De quebra, ainda, ganha mais privacidade, já que outras pessoas não estarão olhando para dentro do seu imóvel.

Fatores a serem avaliados

Embora haja diversos benefícios, há alguns pontos que devem ganhar sua atenção antes de se decidir por esse tipo de imóvel. As regras que o condomínio impõe e, claro, as de boa convivência com os vizinhos, são os motivos que levam algumas pessoas a preferirem outro tipo de habitação.

A mais importante é sobre não fazer barulho entre um determinado período de tempo, que normalmente é maior que o estipulado pela “Lei do Silêncio”, válida para as casas. Essa lei estabelece limites de decibéis em períodos de tempo.

O mais comum nos edifícios, é proibir sons altos das 18h às 9h, enquanto em muitas regiões, a Lei do Silêncio estabelece o mesmo das 22h às 7h para dias de semana. Então, se você mora em uma casa atualmente, deverá adaptar-se em aspirar os cômodos ou ouvir música alta somente nos horários permitidos pelas regras.

Compra ou aluguel de apartamento

A decisão por alugar ou comprar um imóvel deve ser feita após a avaliação da renda familiar, seus objetivos de vida, entre outros fatores.

Se você deseja comprar, planeje-se com atencedência e economize dinheiro: reduza gastos supérfluos e crie uma boa reserva de dinheiro – seja em forma de poupança ou investimentos (de preferência, de baixo risco).

Calcule o quanto poderá guardar por mês até conseguir juntar um montante para dar entrada em um imóvel e arcar com os demais gastos embutidos na compra, como o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), as taxas de registro do mesmo, bem como a Escritura Pública. Tenha em mente a eventual necessidade de realizar reformas e outros reparos antes de ou logo após se mudar – são ocorrências menos frequentes, mas ainda assim podem acontecer, especialmente em imóveis usados.

Se você está aguardando economizar para poder comprar e, durante esse período, prefere alugar, vai precisar observar fatores semelhantes em sua busca e processo de decisão, como a localização, o número de cômodos, o valor do aluguel, as regras de condomínio, além da presença de outras facilidades que possa desejar.

Abaixo listamos algumas dúvidas comuns sobre compra ou aluguel de apartamento. Informe-se!

Em caso de aluguel, quem paga o IPTU é o inquilino ou o proprietário?

A responsabilidade do pagamento do IPTU é do proprietário, mas segundo a Lei do Inquilinato (Lei 12.112/2010), o imposto pode ser negociado entre ambas as partes – vai depender do valor acordado no contrato de locação. Existem situações em que o IPTU não está incluído no aluguel. Mas, em muitos casos, o valor pode estar embutido no preço final. De qualquer forma, o que for combinado deve estar sempre no contrato.

Reajuste de aluguel: como funciona?

O aluguel é normalmente reajustado a cada 12 meses de contrato, conforme o IGP-M (Índice Geral de Preços-Mercado) divulgado no mês de “aniversário” do documento. Mas não precisa se assustar: a alteração costuma ser baixa. Por exemplo, se em um mês o reajuste ficou acumulado em 5%, um aluguel de R$ 2 mil, por exemplo, sobe para R$ 2.190.

Quem paga pela manutenção do apartamento? Inquilino ou proprietário?

Depende do problema. Se é algo ocasionado por mal-uso, a responsabilidade do reparo e do pagamento é de quem aluga. Ou seja, se você quebrar o vidro de uma janela, quem instala outro e paga por ele é você mesmo.

Já problemas estruturais ou de desgaste natural são de responsabilidade do proprietário. Então, um vazamento no banheiro sem motivo aparente, que pode afetar o vizinho de baixo, deve ser reparado e pago pelo dono do imóvel. Mas, lembre-se sempre de comunicá-lo (ou a imobiliária) para combinar como isso será feito.

E para comprar: na planta ou pronto?

Na planta:

Se deseja escolher o tamanho da cozinha e da sala, por exemplo, algumas incorporadoras permitem isso com os imóveis ainda na planta,  já que ainda não estão construídos. Outra vantagem, é poder ser mais facilmente negociado do que o imóvel pronto. Além disso, ele se valoriza após a construção ser finalizada. Quem opta pela unidade na planta, no entanto, deve estar preparado para possíveis imprevistos, como o atraso ou adiantamento na entrega.

Pronto:

Já a moradia pronta está disponível para mudança, você pode ter que reformar ou aceitar a estrutura e decoração do local. E, dentro dessa categoria de imóvel pronto, há dois tipos: novo e usado.

O imóvel novo é vantajoso por nunca ter sido habitado e também por estar com a estrutura completa para morar. Sabe aquele ambiente novinho em folha, pronto para receber você e a decoração que deseja fazer?

Por falar em deixar o seu lar com a sua cara, como ele já está com acabamento, você provavelmente desejará investir em reformas. Isso porque ele normalmente vem com as cores, pisos e azulejos padronizados. Algumas paredes também podem ser quebradas (como a da cozinha, para criar um ambiente aberto, por exemplo).

O imóvel usado, muitas vezes, também recebe uma reforma, já que está com a pintura e materiais de acabamento escolhidos pelos antigos moradores. Ou você pode optar por já se mudar, uma vez que o local está pronto para morar. É uma boa opção também porque é possível negociar mais facilmente o valor.

Em qualquer opção, há prós e contras, os quais dependem do quanto você tem para investir e o que deseja. Avalie o seu caso e veja as opções existentes de imóveis para cada situação!

Dicas para morar em apartamento

Após comprar ou alugar um apê, é o momento de aproveitar seu novo lar e também de adaptar-se aos costumes do condomínio!

Regras do condomínio

Cada prédio estabelece algumas regras que devem ser respeitadas para manter a boa convivência no local. As mais comuns dizem respeito aos seguintes fatores:

  1. Horários permitidos para fazer barulho;
  2. Uso da garagem;
  3. Reserva, taxas e utilização do salão de festas e outras áreas de lazer;
  4. Orientações e condições sobre animais de estimação;
  5. Limitações do uso e decoração de sacada e janelas;
  6. O que pode ou não ser feito nas áreas comuns;
  7. Penalidades quando as regras não são seguidas.

Pode haver mais normas e elas variam conforme o condomínio. Portanto, procure saber quais são elas e guarde-as com carinho para não sofrer penalização e evitar olhares tortos dos vizinhos!

Bom senso com a vizinhança

Em todo lugar em que morar, existirão “regras sociais” para se ter uma boa convivência com quem mora ao redor. Em apartamentos isso é ainda mais necessário, pois as unidades estão diretamente conectadas e as pessoas, mais próximas fisicamente umas das outras. Abaixo damos algumas sugestões para que a convivência seja agradável!

1. Se você não gosta de animais, respeite quem os tem

Ou, se você é dono de um pet, é melhor reparar se os vizinhos gostam de animais para deixar ou não o seu bichinho se aproximar deles nas áreas comuns.

2. Evite barulhos e sons muito altos mesmo nos horários em que é permitido

Especialmente aos finais de semana, quando as pessoas estão descansando. Se for uma reforma, o barulho é inevitável; nesse caso, converse com os vizinhos mais próximos que ouvirão esses ruídos mais intensamente.

3. Quando um vizinho reclamar de um vazamento que pode estar vindo da sua unidade, verifique assim que possível.

Imagine que o teto do seu banheiro esteja com goteiras devido a um vazamento do apartamento de cima. Você provavelmente gostaria de resolver isso o quanto antes, certo? Então, caso reclamem desse tipo de problema, verifique o que está ocorrendo para consertar o mais breve possível.

Se você aluga o apê, comunique imediatamente a imobiliária ou o proprietário do imóvel para que eles tomem uma providência. Depois, dê um retorno ao vizinho afetado, dizendo que o problema foi comunicado e que está aguardando uma solução.

4. Evite falar alto e fazer muito barulho nos corredores.

O som ecoa pelas unidades do andar e pode incomodar os vizinhos que estão ali.

Apartamento decorado

É muito mais prazeroso passar o tempo em sua casa quando os ambientes têm a sua personalidade, não é mesmo? A decoração permite isso. Seu projeto deve variar conforme o tamanho do espaço, seu estilo e as necessidades do dia a dia.

Com tudo isso levado em conta, o resultado é um apê autêntico e prático. Veja algumas ideias que podem ser aplicadas em espaços menores!

Decoração para apartamento pequeno parecer maior

1. Use espelhos em paredes ou molduras penduradas

Os espelhos dão sensação de amplitude por refletirem o ambiente e permitir um campo de visão maior. É um truque muito usado na decoração. Sem contar que espelhos nunca saem de moda e são um charme! Você pode colocá-los em molduras ou instalá-los diretamente em uma parede, de preferência até o teto (por exemplo, acima da mesa do jantar).

2. Prefira cores claras para as paredes e móveis

Tons claros, como o branco, marfim ou bege, trazem mais luminosidade aos ambientes e isso faz com que eles pareçam maiores. Além de transmitir tranquilidade e serem cores atemporais.

3. Considere fazer uma cozinha americana

Se você for comprar um apartamento que não tenha uma cozinha aberta – como os imóveis antigos no Brasil – , imagine como ela ficaria dessa forma, quebrando uma parede para ser vista da copa ou da sala. Fica super moderno e você pode instalar um balcão ou bancada no lugar da parede, dando amplitude tanto à cozinha quanto ao cômodo ao lado.

4. Escolha lustres menores ou spots para as áreas de circulação

Quando uma residência é pequena, pode ter o pé-direito (altura das paredes) mais baixo. Se você colocar lustres longos onde as pessoas passam, eles podem transmitir a sensação de que o ambiente é menor. Então, opte por luminárias de teto curtas ou mesmo por uma camada de gesso com a instalação de spots embutidos.

A ressalva nessa dica: você pode colocar um lustre de cristal em cima da mesa de jantar ou da cama, pois não atrapalhará a passagens de pessoas mais altas. Se um espelho for instalado em uma parede próxima, aumentará ainda mais a luminosidade – o que ajuda no conceito de ampliação.

5. Opte pela TV instalada na parede ou em um painel

Colocar a televisão em um suporte de parede faz com que ela não precise ficar em cima de um rack, economizando espaço.

6. Prefira um rack mais estreito se a TV ficar na parede

Uma vantagem da TV colocada na parede é que você consegue colocar um rack mais estreito abaixo dela. Há, ainda, painéis que já são vendidos com o rack elevado (que também não ocupa o espaço do chão).

7. Dê preferência a uma mesa de vidro transparente

Mesas de vidro transparentes permitem um campo de visão maior. É uma ótima aposta para uma sala de jantar pequena!

Curiosidades sobre apartamento

Os prédios residenciais nem sempre são de apartamentos padrão, pois há diversos tipos deles: para todos os gostos e bolsos – você verá a seguir sobre o mais caro do mundo. E também não ficam em locais convencionais, já que um caso conhecido é o de Gustave Eiffel, que montou um apê secreto pra ele na torre que recebe seu nome na França. Continue lendo para conhecer!

Os diversos tipos de apartamentos

  • Padrão: O mais comum no mercado. Tem planta bem definida, com quartos, banheiros, cozinha, sala, etc.
  • Loft: Unidades amplas, com pé-direito duplo e sem divisão de cômodos – apenas nos banheiros.
  • Studio: Parecido com o loft, mas nesse há divisões em alguns cômodos.
  • Flat: São como os tradicionais, mas contam com serviço de hotel – embutidos no condomínio mensal.
  • Duplex: É uma unidade com dois andares, não necessariamente a cobertura.
  • Triplex: Unidade com três andares. Também não precisa estar na cobertura.
  • Cobertura: Fica no topo do prédio e, muitas vezes, há algumas diferenciações em comparações às demais unidades do condomínio, como piscina e churrasqueira privativas, por exemplo.
  • Penthouse: É uma cobertura luxuosa que se diferencia do prédio, podendo ter mais de um andar, piscina e áreas externas privativas.
  • Garden: Alguns condomínios começaram a dispor esse tipo de unidade, que fica no térreo e tem jardim ou quintal privativo. Em alguns casos, inclui churrasqueira e piscina.

O apê mais caro do mundo fica em Mônaco

Na cidade-estado Mônaco, ao sul da França, já conhecida por ter um mercado imobiliário luxuoso, está o Tour Odéon – um edifício que fica quase no alto de uma montanha, com 170 metros de altura (o segundo maior da costa do Mediterrâneo) e com vista para o mar límpido do local.

O apartamento mais caro dele é o Sky Penthouse, que agrega uma cobertura de 3,4 mil m² no total, sendo: 5 andares, 5 quartos, cinema, piscina infinita (aquelas que parecem não ter borda) e até um tobogã. Em cada andar há uma cozinha e todas são conectadas por um elevador privativo. O preço estimado? Cerca de 400 milhões de dólares.

O apartamento secreto da Torre Eiffel

Quando projetou a torre, Gustave Eiffel também planejou seu apartamento no topo dela, onde morou após a inauguração do monumento, em 1889. Porém, ninguém sabia disso à época.

Foi só em 2015 que a administração liberou para visitação essa excêntrica e antiga residência. Ela mostra os bonecos de cera replicando Eiffel e Thomas Edison (uma das visitas que ele recebia em seu lar confidencial) e a decoração feita há mais de 120 anos no lar desse ícone francês.

Se você já sabe qual tipo de apartamento quer comprar, navegue no portal do VivaReal e escolha o seu!

O que as pessoas buscam sobre apartamento

O que as pessoas querem sobre Apartamento