1. VivaReal
  2. Tipos de Imóveis
  3. Casa

Casa

Tudo sobre casa

Você já deve ter ouvido alguma vez a expressão “lar é onde mora o coração”. Seja uma morada à beira-mar, um apartamento no centro de uma cidade pulsante ou um bangalô em meio à Mata Atlântica, uma casa pode assumir diversos formatos e situar-se nos mais variados endereços.

Mas, afinal, o que é uma casa? Com certeza ela vai muito além de um conjunto de paredes construídas para abrigar um indivíduo. Nosso lar tem um sentido muito mais afetivo, pois reflete nossos gostos, preferências e personalidade. É nele que iremos reunir a família no quintal para o almoço, jogar conversa fora com os amigos na varanda e passar dias divertidos inventando delícias na cozinha.

Algumas pesquisas apontam que uma única pessoa pode vir a se mudar até 11 vezes durante a vida, mas o tempo de permanência médio em uma residência pode variar entre 15 a 31 anos. Então, qual o segredo para encontrar a moradia ideal?

Se você não pretende engrossar as estatísticas, mas conquistar um lar para chamar de seu por muitos anos, é importante atentar-se a diversos fatores, indo desde a busca pela vizinhança certa e a propriedade perfeita, até entender como viver em casa irá transformar a sua dinâmica e a de sua família. Por isso, preparamos este guia, reunindo informações importantes e dicas práticas para que a sua casa dos sonhos se torne realidade mais rápido do que você imagina. Confira!

Como é viver em casa

Construir uma casa do zero ou adquirir um lar pronto para morar envolve planejamento financeiro, habilidade para gerir a obra ou mudança, criatividade para decorar, além de muita paciência para chegar ao resultado final.

Na busca pela residência certa, o primeiro passo é decidir: casa ou apartamento. Enquanto não há uma resposta exata sobre qual a melhor alternativa, a primeira opção agrada pela possibilidade de espaço amplo, conforto e mais privacidade.

Esse tipo de habitação pode se apresentar nas mais variadas tipologias. No Brasil, as mais comuns são: sobrado, geminada, bangalô, edícula, vila e o famoso “puxadinho”. Independente da opção, liberdade é a palavra-chave. Nessas residências, quem dita as regras é o morador.

Vantagens e desvantagens de morar em casa

A principal vantagem da casa é a independência que ela oferece. Sabe aquelas regras de condomínio que os apartamentos têm? Esqueça! Aspirar a casa após às 18h ou brincar de bola com as crianças, por exemplo, costuma ser mais aceito pela vizinhança desse tipo de imóvel do que em um apartamento.

Dar festas e reunir os amigos para um churrasco sem ter que pagar um local para isso? Ter espaço extra para seus bichinhos de estimação e as crianças brincarem? Cultivar uma horta? Em uma casa você e sua família podem! Áreas externas como varanda, jardim e quintal certamente são um grande benefício deste tipo de moradia.

E há um ponto positivo extra quando pensamos na casa própria: você pode reformá-la do jeito que quiser! Ao contrário dos apartamentos, cujos condomínios apresentam regras de modificação tanto para áreas internas quanto fachadas.

O que normalmente é considerado uma desvantagem é a segurança, mas isso pode ser facilmente resolvido. Aposte na instalação de câmeras, portões eletrônicos, portas de alta segurança, além de fechaduras e trincos resistentes nos cômodos que têm passagem para a área externa. Pode parecer muito investimento, mas é só calcular: o que você pagaria de condomínio durante alguns meses já cobre tais custos.

Compra ou aluguel de casa

Está decidido a morar em uma casa? É o momento de saber se irá alugar ou comprar. Veja o que fazer em cada caso.

Como alugar uma casa

Se você escolheu uma residência para alugar após visitá-la, é hora de aceitar a proposta ou fazer uma contraproposta com o valor que cabe melhor no seu bolso. Geralmente o aceitável pelos proprietários é reduzir o valor em até 10% daquele pedido inicialmente. Porém, há quem não queira reduzir nada. Então, prepare-se para negociar!

Depois da proposta aceita, será solicitada a documentação. Isso varia conforme seu estado civil – se irá alugar sozinho, casado, em união estável, divorciado e até se for estrangeiro. Vale verificar quais são os documentos exigidos. São sempre pedidas as cópias de: RG, CPF, comprovante de residência e comprovante do estado civil.

Quando o contrato for entregue a você, avalie se está tudo dentro do combinado. O documento de locação inclui também a vistoria feita antes da entrada no imóvel. Verifique todos os pontos pessoalmente. Caso um local ou móvel esteja danificado e isso não conste na vistoria, exija a inserção para não ter que pagar por esse reparo ao entregar as chaves.

Como comprar uma casa

O primeiro ponto é: você irá pagá-la à vista ou tentará um financiamento? Caso seja a primeira opção, perfeito! Você pode tentar barganhar o valor e conseguir um belo desconto.

Se precisa financiar, será necessário ter uma certa quantia em caixa para pagar a entrada e alguns impostos antes mesmo de iniciar as primeiras parcelas do financiamento. Então, se ainda não possui uma quantia guardada para investir na residência própria, seja à vista ou por meio de um financiamento, planeje-se e comece suas economias!

Agora, se você já está preparado para usar o dinheiro da poupança para isso, é hora de escolher a sua tão sonhada casa e viver a parte mais gostosa do processo de compra: ver as opções existentes e fazer as visitas.

Ainda assim, é um momento cheio de dúvidas e cuidados. Afinal, deve-se optar pelo imóvel que corresponde a tudo o que você e sua família deseja e, ainda, evitar quaisquer problemas com a negociação.

Depois de aceitar a oferta do proprietário, também serão pedidos documentos – os mesmos mencionados no caso da locação e mais alguns específicos. Com o contrato proposto em mãos, avalie todas as cláusulas.

Contrato assinado? É o momento de comemorar! Mas, também, de pagar os impostos cobrados. Os mais comuns são: Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), Escritura Pública e o Registro do Imóvel.

O valor do ITBI varia conforme o município e se você contribui ou não com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Para a escritura, é preciso ter o comprovante de pagamento do ITBI e o valor a ser pago depende do preço do imóvel e das taxas cobradas pelo cartório. O último passo é fazer o registro da propriedade no cartório, o que oficializa a sua posse. O valor, assim como o do ITBI, também varia de acordo com o município.

Dicas para morar em casa

A seguir, ajudamos você a escolher, negociar e viver em um novo lar, com as principais dicas para as fases dessa jornada de compra ou aluguel.

Antes de escolher

  • Eleja algumas prioridades antes de sair em busca do seu novo cantinho.
    Caso você precise que ele tenha 2 quartos e seja próximo ao seu trabalho, tenha atenção a tais detalhes para filtrar melhor sua busca e informar esses requisitos ao corretor.
  • Conheça a região onde está pensando em morar.
    Assim, você pode ter certeza de que gostará de viver nela ou não. Confira os comércios locais, ande pelo bairro e vá nele em diferentes horários, para saber como seria seu dia a dia e as facilidades ao redor.
  • Saiba o tempo de locomoção da sua futura casa até o trabalho.
    Certamente você não quer perder tanto tempo no trânsito, não é mesmo? E tem toda razão! Afinal, isso está muito conectado à qualidade de vida. Então, calcule quanto você irá demorar para chegar ao trabalho, para saber se esse fator poderá ou não interferir muito na sua rotina. Se você usa transportes públicos, verifique quais são as linhas que você poderá usar.
  • Se tiver filhos, pesquise qual creche ou escola pode estar próxima do imóvel.
    Caso haja uma boa instituição de ensino para a criançada nas proximidades, é mais um ponto positivo que pode pesar na balança!

Durante a negociação

  • Certifique-se de que a moradia é regular.
    Antes de comprar seu novo lar, procure no Cartório de Registro de Imóveis e na prefeitura do município se a habitação está regularizada. Qualquer pessoa consegue ter acesso a essa informação rapidamente. Evite problemas com irregularidades, pois pode ser bem caro para corrigi-las.
  • A vistoria apresentou algo que requer reparo? Tente negociar o valor.
    Caso queira fazer uma proposta de menor valor ou notou algo na propriedade que precisa de reparos, você pode conversar com o corretor para que ele faça essa negociação. O proprietário pode baixar o preço para você resolver o problema ou ele mesmo consertar antes da entrega.
  • Dê atenção à cada cláusula do contrato e também às informações importantes que não são mencionadas.
    Tanto na compra como no aluguel, verifique todo o contrato para ter certeza de que não será lesado e peça as mudanças, se for o caso. De preferência, contrate um advogado para fazer essa avaliação. Não deixe nada no combinado “boca a boca”!

Depois da compra ou locação

  • Já contate as empresas de mudanças e agende o dia para isso.
    Há empresas que apenas levam sua mobília e objetos até o novo local e aquelas que chegam antes para embalar tudo e você não ter trabalho algum. Escolha uma dessas opções, cote os preços e já faça o agendamento para se mudar. Só confirme se estará com as chaves, ok?
  • Se não tem mobília e utensílios básicos, garanta-os para antes de sua mudança.
    Quando começar a pedir os móveis e utilidades para seu primeiro cantinho, dê prioridade para os itens mais essenciais – aqueles que precisam estar presentes já no primeiro dia. Nossa sugestão é começar por estes: colchão, travesseiro, roupa de cama, geladeira, micro-ondas, fogão, pratos, talheres e copos. São os que mais fazem falta ao chegar na casa dos sonhos ainda vazia. Depois deles, você prioriza o que for mais urgente para o seu dia a dia.
  • Atualize todos os seus cadastros para o novo endereço.
    Mudou-se, finalmente? A primeira coisa a fazer é atualizar todos os cadastros para o novo endereço, para que você não perca nenhuma correspondência.
  • Agende o cancelamento de serviços do imóvel atual e marque as novas instalações.
    Marque um dia para esses fornecedores irem até a sua atual residência e esteja presente para que eles retirem quaisquer itens – como o modem de Internet, por exemplo. Depois, faça o agendamento das instalações em sua nova morada: Internet, TV a cabo, redes de proteção nas janelas (caso tenha animais de estimação ou crianças), entre outras que precisar.
  • Mude todas as contas para o seu nome.
    É importante que as contas de água, luz e outros serviços que antes estavam em outro nome sejam alteradas para o seu. Você também pode pedir para receber comunicados e contas por e-mail ou telefone – como preferir!
  • Avalie a possibilidade de fazer um seguro residencial.
    Há várias empresas e modalidades de seguro que garantem, basicamente, coberturas de danos elétricos, incêndio e até roubos. Você ainda pode pedir alguns tipos de reparos quando for preciso, como os hidráulicos e elétricos.
  • Verifique sempre a estrutura da casa e faça as manutenções necessárias.
    Problemas elétricos, hidráulicos e de estrutura da casa, mesmo aqueles externos, devem ter sua atenção. Caso seja aluguel, eles devem ser repassados ao proprietário. Mas, se a propriedade for sua, cuide dela assim que um problema surgir para não ter gastos indesejados no futuro.
  • Invista em segurança.Já ouviu o ditado “o seguro morreu de velho”? Então, para viver com mais tranquilidade em seu novo lar, invista em portas, fechaduras, portões automáticos, ajude no custo de um segurança de rua, etc.

Atualmente há também algumas opções de fechadura digital (ou eletrônica), que permite o acesso apenas após a digitação de senha, aproximação de um cartão magnético ou, até mesmo, por meio de biometria digital (ou a combinação dessas formas). Assim, além de garantir ainda mais a segurança e a comodidade de não precisar carregar chave, os terceiros (como a faxineira) tem suas próprias senhas – e você, o controle de quem entra em seu lar.

Casa decorada

Esse momento é talvez o mais prazeroso de todos: deixar seu cantinho com a sua cara!

Caso seja alugado, é preciso conferir com o proprietário quais mudanças você pode fazer. Se for comprado, você pode soltar a imaginação ou contratar um arquiteto ou designer de interiores para isso.

Você pode seguir as tendências atuais ou optar pelo clássico. De uma forma ou outra, coloque sua personalidade nos ambientes para se sentir ainda mais em casa!

Estilo que nunca sai de moda

Se você não quer decorar e em poucos anos ter ambientes ultrapassados, opte por uma decoração atemporal. Para isso, você pode seguir as 5 ideias abaixo:

  1. Eleja tons neutros: Escolher as cores branca, bege ou cinza para as paredes e os itens dos ambientes não tem erro!
  2. Se quiser cores vivas, prefira as sólidas: Estampas marcantes saem mais facilmente de moda. Então, se você busca uma decoração duradoura, use-as com parcimônia! Nessa mesma proposta, o ideal é que as cores estejam presentes nos itens decorativos ou em alguns móveis, ao invés de nas paredes e pisos.
  3. Formas retas nunca saem de moda: Então, abuse delas! Os formatos arredondados ou mesmo redondos podem estar presentes, mas pontualmente.
  4. Móveis de madeira e fibras naturais são boas pedidas: Clássicos e atemporais, trazem naturalidade e vida aos espaços.
  5. Espelhos também são clássicos: Adicione mais desses elementos para deixar sua decoração bonita e sem prazo de validade.

Curiosidades sobre casa

Imagine por alguns segundos a construção de um imóvel. É provável que você tenha pensado em um canteiro de obra com muitos tijolos e cimento, não é mesmo? Agora, pense no formato da residência. Imaginou paredes retas, com portas e janelas, certo? Pois saiba que nem sempre é assim.

Confira a seguir algumas alternativas e projetos de casas diferentes que mostram como um lar pode ganhar o formato que quiser.

Uma casa feita em impressora 3D?

Além de pequenas peças de plástico e até mesmo alimentos, algumas impressoras 3D estão servindo também para construir residências sustentáveis.

A empresa chinesa Shangai, em parceria com a WinSun, colocou esse conceito em prática e fabrica paredes inteiras em poucos minutos. Elas são feitas de cimento (feito com resíduos de construções) e fibra de vidro. Na China, esse tipo de projeto pode custar a metade de uma habitação convencional. Ou seja, é sustentável e ainda reduz custos!

Essa é também a ideia de alguns estudantes da Universidade de Brasília, que iniciaram a startup InovaHouse3D e montaram o protótipo de uma impressora 3D capaz de construir imóveis de 50 m² por aproximadamente R$ 27 mil. O intuito dos idealizadores, assim como a Shangai, é usar entulhos de obras.

Quem segue um ideal parecido é o pesquisador do Instituto de Arquitetura Avançada da Catalunha (IAAC), Sofoklis Giannakopoulos, na Espanha. Dessa vez, a matéria-prima é a terra! Isso porque ela oferece isolamento térmico, proteção contra incêndios, impermeabilização, entre outros benefícios. E não se engane sobre a resistência: ela fica tão rígida quanto o cimento no resultado final. Pelo menos é o que Sofoklis garante!

Casa container

Outra opção inusitada de moradia é com o uso de container. Alguns projetos utilizando essas estruturas metálicas podem ser muito mais baratos que a alvenaria, além de agilizarem as obras. O container também oferece modernidade e bastante estilo ao lar. Muitos arquitetos estão apostando nessa proposta há alguns anos e parece que ela veio para ficar.

As últimas edições da Casa Cor, em vários locais do país, também mostraram esse tipo de projeto em suas exibições. Em Campinas, no ano de 2014, foram utilizados dois contêineres para formar um sobrado. Já em São Paulo, em 2015, a mostra utilizou quatro contêineres para criar ambientes refinados.

Casa na árvore: vida na natureza

O sonho de muitas crianças é também o de alguns adultos pelo mundo, que colocaram a imaginação em prática. A casa na árvore é normalmente feita de madeira para que a planta suporte o peso, além de se misturar ao visual natural.

Em Whistler, Canadá, o jovem Joel Allen construiu uma casa na árvore em formato oval e ganhou a atenção de arquitetos do mundo todo em 2013. Porém, como estava situada em uma área de reserva ambiental, ele a doou para ser transferida para um local de forma legal. Não há novas informações sobre o caso, mas o projeto continua como uma inspiração!

Antes dele, Horace Burgess pensou não apenas em um lar nas alturas das árvores, mas na maior casa na árvore do mundo, localizada nos Estados Unidos. Ela tem 10 andares apoiados em seis árvores e demorou 14 anos para ser construída.

Pois é, morar em um cantinho diferente como esses requer personalidade e é para quem quer sair do senso comum.

Agora, se você sempre quis viver em uma residência na forma como conhecemos aqui no Brasil, o VivaReal tem muitas opções. E alguma delas com certeza pode ser a sua casa dos sonhos!

O que as pessoas buscam sobre casa

O que as pessoas querem sobre Casa