Voltar para a lista de publicações

Receba as melhores dicas e novidades por e-mail

Ser corretor de imóveis autônomo pode ser bom?

Seguir carreira como corretor de imóveis autônomo é uma boa escolha? Leia o texto abaixo e descubra se você se encaixa no perfil

  • Postado em 4 de Janeiro de 2019
  • Destaque, Geral
  • Antes de falar se ser corretor de imóveis autônomo (ou Pessoa Jurídica – PJ)  é bom ou ruim, é preciso explicar que, antes de decidir qual modalidade da carreira seguir, o principal é conhecer o seu perfil profissional. Escolher ser corretor imobiliário autônomo pode ser uma ótima opção, mas não para todos. Por isso, é preciso fazer alguns questionamentos a si mesmo.

    Como é o trabalho de um corretor autônomo?

    O profissional imobiliário autônomo tem as mesmas atividades de um corretor que está ligado a uma imobiliária ou incorporadora, como:

    • Conhecer imóveis;
    • Captar novos clientes;
    • Agendar visitas;
    • Ser intermediador entre vendedor e comprador;
    • Intermediar negociação entre locatário e locador;
    • Cuidar de toda a documentação da negociação;
    • Tratar dos documentos de fechamento do negócio.

    Qual o retorno financeiro de um corretor autônomo?

    O recebimento de comissões menores é um fator que influencia muitos corretores a se tornarem profissionais autônomos ao invés de se ligarem a uma imobiliária. De acordo com a tabela de valores do CRECI, as comissões de vendas dos corretores variam da seguinte forma:

    • 6 a 8% para imóveis urbanos;
    • 4 a 6% para empreendimentos;
    • 6 a 10% para imóveis rurais;
    • 6 a 8% para imóveis industriais;
    • 5% para imóveis judiciais.

    No caso dos corretores autônomos, o valor da comissão é pago por quem contratou o serviço (comprador do imóvel, proprietário, imobiliária ou outro intermediador). Vale lembrar que existem imobiliárias que pagam um salário fixo e a comissão entra como um “bônus”. Apesar da comissão ser integral para o corretor autônomo, vale lembrar que trabalhar desta maneira pode causar situações de instabilidade, já que o profissional não pode deixar de fechar negócios e realizar vendas para garantir seu sustento.

    Questionamentos antes de ser corretor autônomo

    É importante nos fazermos algumas perguntas antes de realmente seguir a carreira de corretor de imóveis pessoa jurídica:

    Consigo mesmo me autogerir? – a autogestão é um dos principais pontos para quem deseja trabalhar por conta. O motivo é claro: uma pessoa que trabalha de forma autônoma pode fazer o seu próprio horário de trabalho e sem disciplina, o risco de afundar o negócio é grande. Controlar seus próprios prazos, cumprir as tarefas no tempo certo, sem ficar postergando, é essencial para fazer tudo dar certo.

    Sou uma pessoa organizada? – a organização é outro fator significativo. Pelo fato da carreira depender do próprio corretor, sem uma empresa cuidando de todas as burocracias, é importante ter um certo nível de organização. Quando falamos sobre isso, estamos focando em todos os processos:

    • Administrar o tempo;
    • Cuidar de todos os documentos da negociação (de todas as partes);
    • Organizar o espaço de trabalho;
    • Entre outros fatores.

    Tenho dinheiro para investir em ações? – Colocar a situação financeira na balança também pode dizer muito sobre a preparação deste modo de trabalho. Além de precisar de dinheiro para se manter por alguns meses (até firmar uma carteira de clientes e o negócio começar a lucrar), todos os custos serão responsabilidades do próprio corretor de imóveis. As ações de marketing é um exemplo claro de algo que é necessário e que demanda dinheiro.

    Tenho bons contatos e uma carteira de clientes? – Este questionamento pode dizer muito sobre os corretores que já atuam no mercado há um tempo e decidem atuar de modo autônomo. Para obter sucesso na carreira, é preciso ter pessoas para contar, além de uma carteira de clientes. No caso de corretores mais jovens, o segredo é possuir facilidade para encontrar clientes, saber conversar e fidelizar seu público.

    Devo começar a carreira como corretor PJ? – Antes de ser um corretor de imóveis autônomo logo de cara, vale passar pela experiência de trabalhar em uma imobiliária. Com isso, é possível que o profissional já comece a carreira acompanhando como é o dia a dia de um corretor e pode entender melhor como funcionam os processos, visto que haverão outros colegas da classe para auxílio em sua rotina.

    Parcerias imobiliárias

    As parcerias imobiliárias vêm se tornando comum na rotina dos corretores e para os autônomos, essa pode ser uma boa alternativa para ter acesso a uma gama de propriedades. A forma mais comum de parceria é quando dois ou mais corretores/imobiliárias se unem para fazer negócios. Pode ocorrer quando se unem para uma venda específica ou como uma parceria duradoura (por tempo indeterminado). Alguns dos motivos para investir em parcerias imobiliárias são:

    • Fidelização de clientes;
    • Maximização da carteira de imóveis;
    • Maior exposição dos imóveis da sua carteira;
    • Mais indicações de clientes;
    • Mais oportunidades de fechar negócio;
    • Troca de experiências.

    Depois de conhecer um pouco melhor o “mundo” dos corretores de imóveis autônomos, é o momento de analisar e colocar na balança os prós e contras. Independente do modo de escolha, é preciso se conhecer e entender o melhor modo de trabalho para o seu perfil.

    E aí, gostou das nossas dicas? Você é corretor autônomo ou filiado a uma empresa? Conte para nós nos comentários.  

     

    Comentários

    comentários


    Receba as melhores dicas e novidades por e-mail

    Veja também no VivaCorretor

    • Social
    VivaReal

    O VivaCorretor é uma iniciativa do Portal Imobiliário VivaReal