Como juntar dinheiro em 6 passos

Confira as dicas de como juntar dinheiro para conseguir alcançar seus objetivos, como a compra da sua primeira casa.

Por Vitório Real
17/08/2016 @ 19:00

Conquistar a independência ou fazer mudanças na vida, como alugar ou comprar um imóvel, não é fácil. Pois, para isso, é preciso planejamento e, claro, juntar dinheiro. É preciso dedicação e foco para cuidar de vários detalhes: contrato de aluguel, móveis, supermercado, contas a pagar… Tudo isso somado a uma quantia considerável que, se não for bem planejado, pode significar o fim de um sonho.

Juntar dinheiro para arcar com esses custos pode parecer um grande desafio em um primeiro momento, principalmente para quem não tem o hábito de economizar. Porém, com a ajuda de algumas dicas e um pouco de determinação, é possível ter a quantia necessária em pouco tempo para realizar a tão sonhada mudança.

Continue lendo para aprender como juntar dinheiro rapidamente em alguns passos!

1. Coloque as contas em ordem

Antes de começar a poupar dinheiro, é preciso colocar tudo em ordem e pagar as contas. Essa é a lição mais básica para quem quer guardar uma grana para alugar o primeiro imóvel e sair da casa dos pais, por exemplo.

Se você tem dívidas com cartões de crédito, cheque especial ou qualquer outra conta em atraso, pague todas. Até que isso seja feito, é importante não fazer nenhuma outra dívida — isso inclui deixar pra lá aquela roupa cara em que você estava de olho!

Aqui vale também repensar quais contas são essenciais e quais não são. Por exemplo, aquela mensalidade alta da academia está valendo a pena? Sua conta de celular, com 2 GB de franquia de internet, não pode ser reduzida para 1 GB?

Reavalie todos os seus gastos e tenha certeza de só deixar aquilo que realmente é necessário!

2. Estabeleça metas

Com tudo organizado, é a hora de estabelecer seus objetivos. Eles ajudam a criar foco e determinação para continuar juntando dinheiro, mantendo sempre em mente que pequenos sacrifícios agora vão gerar um grande prazer no futuro.

Uma boa dica é definir 3 sonhos: um de curto prazo (até 2 anos), um médio (até 5 anos) e um de longo prazo (de 5 anos para cima). Você pode sonhar em alugar um apartamento, por exemplo, e sair da casa dos seus pais como a meta de curto prazo; comprar seu primeiro imóvel financiado em até 5 anos; e, depois, com as finanças já estabilizadas, quitar as parcelas do financiamento.

O importante é refletir e analisar o que é essencial para você. Mas lembre-se: suas metas devem ser alcançáveis. Nada de sonhar em adquirir uma mansão de 5 quartos em um pequeno prazo, combinado?

3. Determine uma quantia para poupar

Depois de estabelecer seus objetivos, você pode ter ideia de quanto, mais ou menos, precisará para conquistar cada um deles e do tempo que terá para poupar. Com essas duas informações em mãos, você deve calcular quanto precisa guardar por mês para atingir suas metas.

Por exemplo, se você precisa de R$ 6 mil para sair de casa em 2 anos — incluindo os gastos iniciais com o contrato de aluguel, móveis e um mês de contas pagas, para garantir um pouco de tranquilidade —, é preciso juntar R$ 250 por mês (6.000 / 24).

4. Controle os gastos

De nada adianta chegar até aqui, depois de organizar todas as suas pendências, definir metas e a quantia a ser poupada, se você não se dispuser a controlar seus gastos. É preciso saber para onde exatamente cada centavo do seu salário está indo, para identificar gastos não essenciais que podem ser cortados ou reduzidos.

Cada uma das suas despesas deve ser anotada, desde a mensalidade da faculdade até o lanche no intervalo das aulas. Só assim você terá uma visão completa da saúde das suas finanças.

Nessa hora você pode contar com a ajuda de um aplicativo para controle dos gastos. Existem muitas opções gratuitas no mercado que oferecem funcionalidades como separação por categoria, gráficos para melhor visualização e, ainda, a facilidade de poder anotar tudo de qualquer lugar, pelo seu smartphone.

5. Compre tudo que puder à vista

Um dos maiores vilões de quem está juntando dinheiro são os juros do parcelamento. Por isso, dê prioridade às compras à vista. Muitas lojas oferecem descontos para quem utiliza essa forma de pagamento, o que pode garantir um pouco mais de economia.

Você também pode pesquisar bastante antes de comprar qualquer coisa, e até “chorar” para baixar o preço numa loja física, para sempre garantir o melhor valor.

Outro grande vilão é o cartão de crédito. Tente utilizá-lo o mínimo possível e, caso o faça, pague as faturas em dia, pois os juros do cartão são uns dos mais altos praticados.

6. Escolha como vai guardar o seu dinheiro

Por último, escolha onde vai guardar a quantia poupada. Afinal, você não vai confiar no seu colchão para guardar o dinheiro que irá permitir a você que realize seus sonhos, certo? Muito menos deixá-lo na mesma conta que você utiliza no dia a dia, correndo o risco de gastá-lo sem perceber.

Por isso, para otimizar ainda mais a quantia economizada todo mês, você deve escolher um tipo de investimento para guardá-la. A opção mais procurada é a poupança, que fará seu dinheiro render 0,5% ao mês. Ela funciona como qualquer outra conta e você pode retirar o dinheiro quando quiser.

Mas, para quem não quer ficar tentado a usar a grana e ainda deseja melhorar um pouco os rendimentos, existem algumas opções de investimento em renda fixa, como os títulos do Tesouro Direto, que têm liquidez menor e rendimento maior, podendo ser uma boa opção.

Há ainda a opção de investir nos chamados fundos imobiliários, cujos rendimentos são isentos de imposto de renda e oferecem melhores taxas do que os títulos do governo ou a poupança.

O importante é pesquisar e escolher aquela opção que melhor se encaixa no seu perfil. Isso é o que irá tornar mais fácil a missão de juntar uma grana todo mês, além de proteger seu dinheiro contra as oscilações da inflação.

Agora que você já sabe como juntar dinheiro, já vai começar a economizar e conquistar os seus sonhos?

Curtiu nossas dicas e quer saber mais? Assine nossa newsletter e receba muito mais gratuitamente no seu e-mail!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Todos os comentários estão sujeitos a aprovação, para evitar que qualquer conteúdo impróprio, ilegal ou ofensivo seja publicado. O preenchimento do Nome e E-mail são obrigatórios.