Pintar a casa: 6 dicas para escolher a tinta correta

Há algumas formas de acertar em cheio ao comprar tintas para pintar a casa. Saiba quais são elas.

Por Vitório Real
22/08/2016 @ 11:02

Chega um determinado momento em que olhar para as mesmas cores dentro de casa enjoa. Nessa hora, a melhor maneira para sair da mesmice é comprar uma lata de tinta e pintar a casa!

Mesmo para você que ainda está planejando comprar seu imóvel dos sonhos, alguns pequenosreparos podem ser necessários para deixar sua casa nova com a personalidade e o astral da família.

Porém, no mercado há inúmeros tipos de tinta. Então, como saber qual é o mais indicado para o seu objetivo? É necessário pensar no ambiente em que a tinta será aplicada e conferir as indicações de uso do produto, mas o que mais?

Preparamos algumas dicas para você (e ao seu bolso) na hora de escolher o tipo de tinta correto. Confira!

1. Não confunda preço baixo com economia

Escolher as marcas de tinta com preço mais baixo nem sempre é um bom negócio. Isso porque tintas de qualidade superior — geralmente mais caras — costumam ter maior quantidade de pigmentos, resultando numa aplicação melhor com menos demãos de tinta.

2. Teste a cor da tinta antes de pintar a casa

Se você alguma vez já pôs a mão na massa para pintar a casa, deve ter percebido que quando as tintas secam elas mudam de cor: algumas ficam mais claras e outras, mais escuras.

Por isso, recomendamos o teste da cor antes de comprar uma grande quantidade de tinta. É só comprar uma latinha pequena e fazer o teste em uma parede qualquer, assim, você pode certificar se a cor que fica após a secagem é mesma que você quer.

3. Verifique o lote das tintas

Se você for comprar uma quantidade grande de tintas, a probabilidade de as latas serem de lotes diferentes é maior. Às vezes, quando os lotes são diferentes, os tons também mudam. Se este for o caso, misture todas as latas em um recipiente que seja suficientemente grande para comportar o volume de tinta necessário. Dessa forma, você evita discrepâncias de tonalidade nas paredes de sua casa.

4. Não compre mais do que o necessário

Ninguém gosta de desperdiçar dinheiro, certo? Para que isso não aconteça quando você for comprar as tintas, faça o cálculo do volume de tinta necessário. É simples:

  1. Meça quantos metros quadrados você vai pintar.
  2. Leia as indicações na lata do produto e veja qual metragem você pode pintar com uma lata, para saber quantas latas terá que usar.
  3. Divida esse número pelo rendimento do produto. Assim, você terá a quantidade de latas necessárias para dar uma demão.
  4. Não se esqueça de que, para uma pintura ficar boa, são necessárias de 2 a 3 demãos. Sendo assim, multiplique pela quantidade de demãos que você deseja aplicar.

5. Use uma tinta específica para cada ambiente

Com uma variedade enorme de tintas no mercado, é necessário saber o uso mais indicado para cada função. A escolha do produto correto vai definir o resultado final da pintura e a durabilidade do trabalho.

Ambientes internos

Você possivelmente já foi em algum lugar e, ao entrar no banheiro, viu uma parede descascando ou coberta de bolor. Isso pode ser resultado de uma má escolha das tintas. É necessário saber as diferenças entre os ambientes internos da casa e as indicações diferentes de produtos para cada um deles.

  • Banheiros e cozinhas:Em ambientes úmidos, como banheiros e cozinhas, é recomendado usar tinta acrílica, pois ela apresentam maior resistência à umidade. Composta principalmente de resina acrílica, ela também é impermeável, podendo ter acabamento acetinado, com semibrilho ou fosco.
  • Ambientes internos secos:No restante dos ambientes internos, a tinta látex (ou PVA) é a mais indicada para a pintura de paredes e tetos que não precisam de manutenção frequente. Ela é mais permeável que a acrílica e mais barata também, porém, bastante resistente. Por ser feita à base de água, garante uma secagem rápida e com odor mais suave.

    É encontrada somente em acabamento fosco, que é o mais indicado para ambientes internos, uma vez que as coberturas mais brilhantes evidenciam irregularidades nas paredes.

Ambientes externos

Assim como em ambientes úmidos, a tinta mais indicada para ambientes externos é a acrílica. Recomenda-se também que tenha um certo grau de brilho, para que reflita raios ultravioletas.

6. Considere o material em que a tinta será aplicada

Assim como o ambiente afeta a escolha da tinta, também é preciso ficar de olho no tipo de material em que ela será aplicada. Saiba com quais tipos de superfícies você deve atento:

Azulejos e plásticos

No caso de azulejos e plásticos, resinas como a epóxi são as tintas mais indicadas. Elas são muito usadas em banheiros e cozinhas, devido ao seu alto grau de impermeabilização, durabilidade e resistência.

Porém, esse tipo de resina tem um ponto negativo: a dificuldade na aplicação e seu cheiro, que é mais forte do que o das outras. A epóxi precisa ser misturada com a quantidade certa de catalisadores, que garantem o endurecimento da camada de tinta. Portanto, é recomendável sempre contratar um profissional especializado para a aplicação desse tipo de resina.

Metais

Na pintura de metais, é recomendável tintas como o esmalte, tinta a óleo ou automotiva. A tinta automotiva é feita para a aplicação com pistola, porém sua composição química é muito boa, garantindo maior qualidade. Ela aguenta calor e a secagem é rápida, mas é mais cara que as outras.

No momento de realizar a pintura em metais, é importante remover toda a ferrugem com uma lixa e passar removedor para tirar qualquer resquício de óleo ou gordura.

Madeiras

A melhor técnica para pintar madeiras é com tinta em spray, uma distância de 50 cm do objeto, sempre indo por partes. Entretanto, se você não quiser usar spray, as tintas a óleo e o esmalte sintético também são boas opções.

Assim como acontece com os metais, antes de pintar alguma peça de madeira é preciso lixar a superfície, deixando-a lisa. Depois, passe o selador que preenche os canais da madeira, para garantir que ela fique uniforme, e lixe mais uma vez.

Lembre-se também que tintas foscas disfarçam o trabalho da talha da madeira, por isso, se você quiser realçar as ranhuras do material, é indicado usar tintas com mais brilho.

Com essas dicas, pintar a casa e deixá-la com a sua cara vai ficar muito mais fácil. Ainda tem alguma dúvida? Já passou por essa experiência e quer compartilhar alguma dica? Conte pra gente nos comentários!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Todos os comentários estão sujeitos a aprovação, para evitar que qualquer conteúdo impróprio, ilegal ou ofensivo seja publicado. O preenchimento do Nome e E-mail são obrigatórios.